quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Panorama Regional



Precariedade na Caixa
O nível de satisfação com a qualidade do atendimento na agência da Caixa Econômica Federal (CEF) de Santo Antônio da Platina nunca esteve tão baixo. O que antes era atribuido a alguns bancos particulares, parece que foi incorporado pela Caixa. Justiça seja feita: a maioria dos funcionários é atenciosa, atendendo com carinho e eficiência a clientela. O problema se acentua quando a cliente precisa tem de recorrer a encarregados e gerentes.
Tem gerente que simplesmente não atende as ligações. Obter informações por telefone é uma tortura. O gerente geral, que chegou há pouco tempo na agência, é educado, mostra que conhece do ramo, mas é burocrático, só isso. Não faz esforço para agradar, conquistar o cliente. Um robô talvez fosse mais afável.

Atraso
O cliente da Caixa convive com o que existe de mais arcaico em termos de tecnologia e nem os gerentes fazem questão de esconder essa deficiência e falam abertamente que os sistemas operacionais do banco, são do tempo em que a maioria da clientela era composta por dinossauros.

Pouca prática
E eleição para escolha dos membros da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores de Santo Antônio da Platina demonstra que faltou mais “assessoria” aos que estão chegando agora. Aliás, dos nove integrantes, apenas o vereador Mineiro se reelegeu.

Pouca prática 2
O grupo do prefeito Zezão, maioria com cinco membros, ocupou todos os cargos da Mesa, um desnecessário desperdício já que os cargos fundamentais são a presidência e primeira secretaria. Na hora da escolha dos membros das comissões, percebeu-se a gafe. A oposição emplacou todos os cargos chaves e domina as comissões de Justiça e Redação, Finanças, Obras, e educação. O artífice da manobra foi o experiente Mineiro, que deixa claro não ser oposição ao atual prefeito.

Mordendo a língua
Durante um churrasco de confraternização para comemorar a vitória em Ribeirão Claro, o atual vice-prefeito João Carlos Bonato, ao discursar, criticou o ex-prefeito Maurício Araújo, afirmando que ele estaria entregando a administração com muitos problemas, entre os quais, dívidas de precatórios.

Mordendo a língua 2
Fiz um esforço mental ao ver o vídeo com a fala de Bonato e me lembrei de quando ele entregou a prefeitura ao adversário da época, hoje parceiro, Mário Pereira, que sofreu horrores para colocar em ordem as finanças municipais.

Repercussão negativa
O anúncio de que o segundo vereador mais votado de Santo Antônio da Platina, Everton José Panegada (PMN), vai abrir mão de sua cadeira no Legislativo para ocupar a secretaria de Obras do município surpreendeu negativamente os meios políticos locais. Ele troca um salário de R$970 na câmara pela remuneração de secretário, cerca de R$7 mil, o que não deixa de ser tentador.

Estreia
Com a saída de Panegada, quem assume a cadeira como primeiro suplente é o comerciante Edson Muniz Gonçalves (PHS), mais conhecido por Buchecha.

Ah Coitado!
Alguém mais experiente precisa falar para alguns vereadores de primeira viagem, que a atividade parlamentar tem limites e que esse lance que vão conseguir uma nave espacial para seus municípios está só na cabeça deles.

Judas
O vereador Walter Zacarias Barreto, o popular Cocão (PRB) elegeu no grupo do ex-prefeito Maurício Araújo, mas mesmo antes de assumir tratou de pular a cerca e bandeou-se pros lados do atual prefeito Mário Pereira. Isso lembra Judas, o apóstolo traidor, que trocou Jesus por 30 moedas de ouro!  

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Panorama Regional



Estou de volta
Nem sei quantas semanas fiquei ausente deste espaço. Ultimamente vinha escrevendo em um dia, em quatro não... Nos últimos tempos isso vem se tornando frequente, resultado de 35 anos de jornalismo sem interrupção, nem férias. Vale assinalar que trabalho desde pequeno. Quando as crianças estavam em suas camas, vivendo o prazer do descanso das madrugadas, lá estava eu, junto com os irmãos, tirando leite das vacas de Seo Antônio. Ainda sem forças nas mãos para tirar o leite, era o responsável por amarrar e “pojar” (técnica na qual o bezerro é colocado ao peito para estimular as vacas “soltar o leite”). Veja só: comecei falando de minha inconstância em manter regularidade na coluna e descambei para a pecuária leiteira. Em resumo o que quis mostrar é que trabalho desde pequeno e férias nunca existiu em minha vida. Em síntese: estou no limite do cansaço.

Tudo como antes!
Dando uma passada nos sites de jornais, blogs e jornais eletrônicos concluo que continua tudo a mesma coisa. Os caça níqueis continuam correndo atras dos tostões. O Valcir, com seu NP, permanece o mesmo: é visível seu esforço para agradar o Efraim, de Quatiguá, que teve o registro de sua candidatura impugnado no TSE, última instância. Ele precisa provar de qualquer jeito que Efraim é viável, tem chances de reverter na justiça a impugnação de sua candidatura. Chega ser patético.

Habeas corpus
Efraim contou pro Valcir, e ele acreditou, que havia ingressado na manhã de quinta-feira (22), com um habeas corpus junto ao TSE a fim de trancar a ação de impugnação. No final da tarde acessei o site do tribunal e não encontrei nada que confirmasse a informação. Efraim teria reafirmado que a sua situação política será definida nos próximos dias.

Injustiça
A revolta de Efraim com o drama que está sofrendo é justificável. Ele está sendo impugnado por uma suposta irregularidade na contratação de serviços fotográficos no valor de R$900, cujo emprenho e pagamento foi realizado pelo sucessor de Efraim.

Insegurança
Em Cambará o prefeito eleito José Salim Haggi Neto (PMDB) conseguiu reverter impugnação de seu registro de candidatura na última hora, quando ninguém mais acreditava nesta possibilidade. O que preocupa seu staff é o fato de que ele assume a administração com o fantasma do processo que continua correndo na Justiça Eleitoral.

Concurso para juiz
O Edital de Abertura do Concurso Público para provimento de cargos de Juiz Substituto do Estado do Paraná – 2016/2017, assinado esta semana pelo presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Paulo Roberto Vasconcelos, foi veiculado no Diário da Justiça Eletrônico e será publicado no dia 23 de janeiro de 2017. As inscrições terão início no dia 1º de fevereiro e a prova objetiva está prevista para ser realizada no dia 2 de abril de 2017.

Vai entender
Recebi na tarde de sexta-feira (16), uma nota encaminhada pela delegada da polícia civil de Ribeirão do Pinhal, Lucy Atena de Aquino, contestando informações de uma reportagem de minha autoria, publicada na edição do último dia 9, na qual o jornal relata a abertura de um inquérito policial na 12ª SDP de Jacarezinho que apura supostas ameaçadas contra a policial que preside um inquérito que investiga suspeita de execução de três jovens por parte de policiais militares que atuaram numa operação em setembro em Jundiaí do Sul.

Contradição
A nota da delegada, sinceramente, é um conjunto de contradições, razão pela qual decidimos esperar alguns dias para falar pessoalmente com ela e com seus superiores. Em momento algum o jornal está cerceando o direito de manifestação da delegada, mas a direção de redação toma o cuidado de levantar as informações e levar ao público os fatos verdadeiros, sem emocionalismo.

Orçamento
O orçamento do Estado para 2017 será de R$ 56 bilhões. Apesar da cifra bilionária, o chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni, diz que o governo trabalhará com austeridade. “Nossa situação fiscal é melhor do que muitos estados e vamos manter o equilíbrio. Será um ano de austeridade, mas com capacidade para investir”, explica, ressaltando que R$ 7,6 bilhões estão reservados para obras e programas.

Menos comissionados
Governo vai cortar imediatamente 474 cargos em comissão das universidades estaduais. Segundo Valdir Rossoni, outros 718 cargos devem ser extintos em 2017. Por lei, as instituições de ensino superior podem nomear 2.098 comissionados. O quadro atual, contudo, aponta que há 3.290 funções ocupadas.

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Panorama Regional



Papagaios de pirata
O deputado federal João Arruda (PMDB) postou em sua conta no facebook quase um desabafo sobre o papel de alguns colegas de parlamento que, sem voz na Câmara, usam e abusam do ato de ‘papagaiar’. Segundo ele, está se tornando comum a figura do papagaio de pirata na Câmara dos Deputados. As aves de penugem esverdeada se aproveitam de matérias polêmicas e dos holofotes da grande mídia durante as votações polêmicas para aparecerem, muitas das vezes à sombra dos líderes do parlamento ou dos deputados com notável popularidade.  “O que é que está acontecendo com alguns Deputados Federais?”, indagou o parlamentar, conhecido por ser um estudioso dos assuntos e matérias discutidos na Câmara.

Ânsia por aparecer
Na sua postagem, Arruda lembra dos deputados que transformaram a votação do impeachment da ex-presidente Dilma na Câmara num verdadeiro picadeiro. “Assim como no dia da votação do impeachment, onde parlamentares citavam seus animais de estimação, estouravam foguetes e se posicionavam atrás dos oradores movimentando a cabeça, como verdadeiros papagaios de pirata, presenciei ontem (quinta-feira, 24) a repetição do mesmo tipo de comportamento. Na ânsia em aparecer na televisão, alguns deputados gritam, dançam, xingam, se jogam no chão, e transformam a Câmara em um verdadeiro circo, onde os palhaços são eles mesmos”, desabafou.

Destruição da imagem
João Arruda acredita que esse tipo de comportamento destroi a imagem já combalida do parlamento brasileiro. “Ao invés de promoverem uma discussão de alto nível, tais parlamentares optam por não estudar as matérias, por não participar das reuniões de líderes, as quais definem as pautas e que poderiam ser por eles influenciada, e se satisfazem com alguns minutos à frente da câmera”.

Macaquices
O desabafo do peemedebista corrobora com a opinião da maioria dos eleitores de que político não se importa com o povo e se quer mesmo se aproveitar das benesses do poder. “Tais deputados acreditam que as suas macaquices os diferenciam da maioria. Mas o que eles não percebem é que, ao agir assim, estão cada vez mais reforçando a generalização de que todo político é ladrão, de que a Câmara Federal é um antro e de que nela só há pessoas despreparadas, que sequer fazem ideia do que estão fazendo”, dispara.

Falsos moralistas
Para João Arruda, esses deputados perderam a noção do ridículo. “São falsos moralistas, demagogos. Deputado que discorda das posições tomadas internamente, estuda os projetos, debate as questões com argumentos e constrói com a maioria. Mas não se joga ao chão. Cada vez que vejo esse teatro na Câmara, sinto vergonha de ser deputado”, diz desapontado. O recado foi dado.

Vai o vice
Enquanto se convalesce de um problema de saúde, Pedro Claro de Oliveira Neto (DEM) vai vendo de longe seu vice Jorge Garrido (PMDB), com quem a relação já foi bem melhor, inaugurar as obras que tanto lutou para conseguir. Um exemplo disse foi o Emei na avenida Oliveira Motta na segunda-feira, 21. No domingo, 27, a empresa contratada pela prefeitura concluiu as obras de infraesturtura da Vila Santa Terezinha, antigo sonho de quem mora na parte leste da cidade, mas Pedro Claro, ainda internado, também não pôde estar presente.

Vai o sucessor
Pior que ver seu vice colhendo os louros que ele mesmo semeou é ter que se conformar que a inauguração da Unidade de Pronto Antendimento (UPA) no Parque Rennó, e a UTI adulta do Hospital Regional do Norte Pioneiro, sediado em Santo Antônio da Platina, só vão começar a atender a população somente em 2017, quando seu mandato já estiver acabado. Professor Zezão vai inaugurar a obra e ficará marcado na história com seu nome na placa e tudo. Resta saber se o cerimonial vai chamar o ex-prefeito para descerrar a fita.

Chá de sumiço
E já que perguntar não ofende. Alguém sabe do paradeiro do deputado federal Diego Garcia (PHS)? Desde o resultado das eleições de outubro que o nobre parlamentar não é visto nem ouvido na região. Se tem aparecido, é para pouca gente, porque tem muito eleitor do humanista sentindo sua falta. Teria tomado chá de sumiço?

Na bica
Com as definições das eleições municipais, o ex-deputado federal Chico da Princesa (PR) passou a ser o primeiro suplente de deputado estadual da coligação entre o PSC e o PR nas eleições de 2014, por conta da cadeira deixada por Leonaldo Paranhos (PSC) que se elegeu prefeito de Cascavel. Os três primeiros suplentes de Paranhos também foram eleitos prefeitos e com isso a cadeira caiu no colo do ex-prefeito de São Jorge do Oeste, Luis Corti (PSC). Acontece que Corti tem uma condenação no Tribunal de Justiça do Paraná por improbidade e aguarda julgamento de um agravo na mesma corte. Se a condenação for mantida, Chico da Princesa assume a vaga.    

 

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Panorama Regional



Desgraça pouca...
Existe um velho ditado popular para definir quando uma pessoa vive n uma maré de azar: desgraça pouca é bobagem! É exatamente isso que está acontecendo com a prefeita não reeleita de Abatiá, Maira de Lourdes Ferraz Yamagami. Ela vive em literal inferno astral há mais de um ano, colecionando denúncias, escândalos, condenações judiciais e, para terminar, levou uma lambada na última eleição. Pior que pra ela não existe fundo do poço, não bastasse tudo isso, Dona Lourdes, como é chamada, juntamente com o marido, foram condenados pelo TRE -  Tribunal Regional Eleitoral, ao pagamento de 10 mil reais cada e a perda dos direitos políticos para os próximos 8 anos.

Compra de votos
Outro que se vê às voltas com a Justiça Eleitoral é o prefeito de Pinhalão, Claudinei Beneti e o prefeito eleito Sérgio Inácio Rodrigues, o Sérgio da Agropecuária. Trata-se de uma investigação eleitoral que apura suposto uso da máquina pública nas últimas eleições, que proporcionou a vitória do candidato situacionista por uma diferença de seis votos.

Audiência
Por conta das evidências de crimes eleitorais, o juiz Oto Luiz Sponholz Júnior designou audiência de instrução e julgamento para o dia 25 de novembro, às 16 horas, no Fórum Eleitoral localizado na cidade de Tomazina (sede da 19ª Zona Eleitoral). Ele determinou o comparecimento de várias testemunhas para ser ouvidas, a maioria funcionários da prefeitura identificados por outras pessoas que prestaram depoimento.


Na surdina
O Antagonista denuncia: caciques da Câmara ainda não chegaram a um texto final da lei para anistiar o caixa dois, mas estão decididos a enfrentar o desgaste de perdoar quem usou dinheiro não declarado em campanhas. Congressistas se dizem fartos da pressão do Ministério Público e tentarão uma votação relâmpago com o intuito de reduzir a exposição negativa. Alguns já falam em mudar a lei da delação premiada também. Um dos pontos é permitir a revogação de acordos em caso de vazamento à imprensa.

Todos por um 
Como o relator das medidas propostas pelo Ministério Público não acatou o texto da anistia, líderes partidários cogitam apresentar uma emenda conjunta para evitar que apenas um deputado sofra o desgaste de promovê-la sozinho.

Corda no pescoço 
“Está todo mundo cheio do ativismo do MP”, diz um importante porta-voz da base do governo, em claro sinal de que parte expressiva do Congresso vê a Lava Jato como rival.

Congresso caro
Deu no site do Congresso em Foco: reportagem do jornal El País de Buenos Aires mostrou que o Brasil tem a maior remuneração para deputados e senadores da região, seguido de Chile e Colômbia. De acordo com a publicação, a crise econômica na América Latina atrai atenção para esse problema antigo: a disparidade entre os ganhos dos parlamentares e o salário médio dos cidadãos que representam. A reportagem mostrou que os deputados e senadores do Brasil lideram a lista, com um salário de R$ 33.763 por mês, cifra que quase triplica quando são somados cerca de R$ 50.000 que recebem os deputados a título de auxílio-moradia, passagens e ajuda de custo.

Gastança
Além disso, eles têm direito a cinco voos mensais e R$ 97.116 para pagar até 25 funcionários de gabinete. No caso dos senadores, além do salário, eles recebem mais de R$ 69.000 para o apoio para as atividades parlamentares. Os senadores brasileiros também recebem R$ 159 mil como verba de gabinete para pagar até 55 servidores. No Brasil, o salário mínimo atual é de R$ 880.

Vice-líder
O segundo lugar entre os legisladores mais bem pagos é dos chilenos, com salários de R$ 32.640, livre de impostos. Como ocorre no Brasil, essa soma sobe bastante quando são adicionadas as verbas para a manutenção de escritórios parlamentares nos distritos, telefones, automóveis, gasolina, passagens aéreas, materiais de escritório e divulgação, que correm por conta do Congresso.

Discrepâncias
O pódio é completo pelos congressistas colombianos, com R$ 30.080 por mês, sem contar ganhos extras. O salário mínimo colombiano é de aproximadamente 750 reais. Um pouco abaixo se encontra o México, com um salário líquido de 22.400 reais, que pode chegar a 48.000 quando acrescido das verbas extraordinárias. O salário mínimo dos mexicanos é um dos mais baixos da região: 320 reais.